O projeto “RIPK3 biology and targeting in metabolic liver disease” – coordenado por Cecília Rodrigues – e o projeto “Targeting TDP-43 with protein kinase inhibitors: a effective and measurable therapy for ALS” – liderado por Dora Brites e com a participação de Ana Rita Vaz por parte da equipa portuguesa – integram a lista dos 30 projetos ibéricos finalistas do Concurso “CaixaResearch de Investigação em Saúde 2021“. Este concurso insere-se no âmbito da Iniciativa Ibérica de Investigação e Inovação Biomédica – i4b, promovida pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) e Fundação “la Caixa”, que pretende identificar e apoiar estudos promissores, de significativo valor científico e com elevado impacto social, tanto na investigação de base, como na investigação clínica e translacional.

O projeto “RIPK3 biology and targeting in metabolic liver disease” incide na doença do fígado gordo não alcoólico, a patologia crónica do fígado mais frequente que afeta um terço da população. Este estudo, apoiado com 320.000,07 €, pretende explorar o papel da proteína RIPK na inflamação do fígado. O objetivo do trabalho, coordenado por Cecília Rodrigues, visa não só prevenir a doença, mas também encontrar medicamentos que possam impedir a sua evolução.

O projeto “Targeting TDP-43 with protein kinase inhibitors: a effective and measurable therapy for ALS” recai sobre a descoberta de novas estratégias terapêuticas para tratar a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA), com especial enfoque no papel da proteína TDP-43 nos neurónios motores de pessoas portadoras da doença. O estudo, financiado com 500.000 € em parceria com a Fundación Luzón, reúne um consórcio ibérico de investigação constituído pela FFUL – representada por Dora Brites e Ana Rita Vaz -, Faculdade de Medicina da Universidade Complutense de Madrid e IMDEA – Instituto de Nanociência de Espanha.

Os 30 projetos selecionados na edição 2021 visam, todos eles, combater patologias com maior impacto na saúde a nível mundial e associadas a áreas como oncologia, neurociências, doenças cardiovasculares e metabólicas relacionadas e doenças infeciosas. O apoio atribuído traduz-se num total de 22,1 milhões de euros, dos quais 7,9 milhões de euros destinam-se a projetos portugueses. Os trabalhos financiados serão desenvolvidos durante os próximos três anos.

 

Comunicado de Imprensa